Dados de Pesquisa do RI UFSCar

 

Os Repositórios de Dados garantem o acesso aberto aos dados de pesquisa das instituições e contribuem para o movimento da Ciência Aberta, que propõe a prática da ciência realizada de modo aberto, partilhado, colaborativo e transparente.

A coleção de Dados de Pesquisa do Repositório Institucional da UFSCar (RI UFSCar) tem como objetivo organizar, armazenar, disseminar e preservar os dados de pesquisa referentes às pesquisas científicas produzidas na instituição. Todo o conteúdo disponibilizado nesta coleção é de acesso aberto.

De acordo com as políticas definidas, podem ser depositados na coleção todos os dados de pesquisa de docentes com vínculo na instituição, sendo adotado o autodepósito como método de povoamento, onde os próprios autores depositam o conteúdo de suas publicações.

A coleção de Dados de Pesquisa está separada em dois grupos: Dados de Pesquisa UFSCar e Projetos Temáticos FAPESP. Na coleção Projetos Temáticos FAPESP são depositados os dados de pesquisa vinculados aos projetos temáticos FAPESP de docentes da UFSCar, que desempenham a função de pesquisador responsável nessa modalidade de projeto. A coleção Dados de Pesquisa UFSCar é destinada ao depósito de todos os tipos de dados brutos de pesquisa ou projetos dos docentes da instituição.

Plano de Gestão de Dados

Diante desse cenário é relevante realizar de forma eficaz a gestão dos dados de pesquisa. Sendo assim, é indicado que o pesquisador elabore um Plano de Gestão de Dados, garantindo que os dados de pesquisa sejam gerenciados e compartilhados, propiciando também maior benefício para o avanço científico e tecnológico.

Mas o que seria um Plano de Gestão de Dados? O Data Management Plan (DMP), ou Plano de Gestão de Dados, é um documento formal que descreve os dados produzidos durante um projeto de pesquisa e descrevem estratégias de gerenciamento de dados que serão implementadas durante e após a fase ativa do projeto de pesquisa. Os DMPs também descrevem detalhadamente todos os aspectos do gerenciamento de dados que ocorrerão durante todo o ciclo de vida dos dados da pesquisa, quando os dados estiverem sendo coletados, organizados, documentados, compartilhados e preservados.

Exemplos de planos de gestão de dados podem ser encontrados em ferramentas como DMPTool e DMPonline. Nesses endereços são disponibilizados inúmeros modelos de planos que foram submetidos a um grande número de agências de fomento, para as mais diversas áreas do conhecimento. Além disto, estes sites ajudam a gerar um Plano, orientando o pesquisador com perguntas em questionários online.

Segundo o Digital Curation Centre (2014), as perguntas para a construção de um DMP envolvem:

  • Quais dados você coletará ou criará?
  • Como os dados serão coletados ou criados?
  • Que documentação e metadados acompanharão os dados?
  • Como você administrará qualquer questão ética?
  • Como você vai gerenciar os direitos autorais e os direitos de propriedade intelectual?
  • Como os dados serão armazenados durante a pesquisa?
  • Como você vai gerenciar o acesso e a segurança?
  • Quais dados devem ser mantidos, compartilhados e preservados?
  • Qual é o plano de preservação a longo prazo para o conjunto de dados?
  • Como você vai compartilhar os dados?
  • São necessárias restrições ao compartilhamento de dados?
  • Quem será responsável pelo gerenciamento de dados?
  • Quais recursos você precisará para implementar seu plano?

O Plano de Gestão de Dados vem se tornando componente obrigatório na fase de submissão de projetos de agências de fomento, sendo que cada agência de fomento à pesquisa possui critérios específicos ao gerenciamento de dados. 

No caso da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP), desde outubro de 2017, é exigido um Plano de Gestão de Dados dentro da modalidade Projeto Temático. Contudo, a agência de fomento prevê a ampliação da obrigatoriedade da apresentação do plano para outras modalidades de apoio a partir de 2021. É possível encontrar mais instruções da FAPESP pelo link http://www.fapesp.br/gestaodedados.

Depósito de Dados de Pesquisa (Dataset)

Os dados de pesquisa compreendem todos os tipos de objetos produzidos em qualquer fase do ciclo de vida da pesquisa. Com a finalidade de auxiliar as boas práticas no que tange a gestão e compartilhamento dos dados, existe um conjunto de princípios, denominados princípios FAIR (2016) (Findable, Accessible, Interoperable, Reusable), que apresentam orientações para que os dados científicos depositados em repositórios sejam localizáveis, acessíveis, interoperáveis e reusáveis. Nesse sentido uma das recomendações é que o pesquisador faça a utilização da formatação em dados abertos com extensões do arquivo consolidadas como XML, JSON e CSV.

Para facilitar a identificação de um determinado conjunto de dados de pesquisa, tendo em vista a amplitude dos projetos, é possível que o pesquisador identifique e vincule os dados de pesquisa a outras publicações científicas de sua autoria, como artigos e teses.

O depósito de dados de pesquisa no RI UFSCar é destinado aos conjuntos de dados provenientes das pesquisas de docentes da UFSCar. As instruções para o autodepósito dos dados de pesquisa estão disponíveis no Manual de autodepósito de dados de pesquisa, localizado na aba Instruções aos autores do Repositório Institucional da UFSCar (RI UFSCar).

 

Contato

Para maiores informações entre em contato com equipe do Departamento de Produção Científica (DePC) do SIBi-UFSCar pelo e-mail repositorio.sibi@ufscar.br ou pelo telefone (16) 33518477.

Acompanhe a BSo também pelas redes sociais oficiais